Mails para a minha Irmã

"Era uma vez um jovem vigoroso, com a alma espantada todos os dias com cada dia."

Estórias ao Acaso: Noite Fria (X)

Deixe um comentário

Noite Fria (X)

– Olá!
– Olá!
– Como estás?
– Bem, e tu?
– Amo-te perdidamente, loucamente. Desculpa a invasão das palavras.
– Essas palavras são minhas também. Só quero a tua companhia, sempre. A toda a hora recordo o nosso passeio e…
– O nosso beijo! Significou o mesmo para ti que para mim? Sentiste-o com a mesma intensidade?
– Não sei bem se consigo responder-te porque não sei o que significou para ti. Para mim, foi a vida inteira num minuto… enfim, um pouco mais que um minuto!
– Exacto. A vida podia ter acabado aí. Aliás, para mim está interrompida desde esse momento.
– Tens razão. És uma pessoa maravilhosa para mim… quero-te muito por isso, também. Acho que nunca ninguém me valorizou como tu, me tratou como tu. Ao pé de ti tudo faz sentido. Tudo é harmonia.
– Ao pé de ti é que a vida vale a pena. És a razão do meu viver, do meu pensar. És o meu sopro de vida.
– Ainda bem. Senti alguma insegurança. Pensei que fosse só comigo. Que tudo se passasse só na minha cabeça.
– Não. Passa-se tudo na minha também… O mesmo desejo, a mesma perdição e… estava a pensar…
– Temos de fazer amor…
– Sim, claro. Mais uma vez, nem precisaria de falar. Mais uma vez leste-me o pensamento.
– Quero que saibas algo a esse respeito…
– Sim…
– Para mim não é uma questão de matéria, de corpo, de sexo… é, assim, como se fosse o completar de um ciclo.
– Claro que sim. Sexo teria sido há quinze anos. Se o que quer que seja que sentimos resistiu quinze anos não pode ser só sexo. O sexo é efémero. Isto não. Não precisavas dizer isso. Para mim é claro que assim seja. Nem podia ser de outra forma.
– Sim, mas precisei dizer para clarificar. Ainda bem que já era claro para ti.
– Amo-te.
– Amo-te.
– Combinamos?
– Não. Deixa acontecer. Entre nós tudo tem acontecido com tanta naturalidade. Não forcemos. Tenho a certeza de que o Amor, o do corpo, acontecerá entre nós como o das palavras. Surgindo com naturalidade. E tenho a certeza de outra coisa…
– Sim… não me suspendas, diz logo… de que tens tu a certeza?
– Tenho a certeza de que será harmonioso, natural, profundamente sensual e muito intenso. Será o momento mais maravilhoso das nossas vidas.
– Também tenho a certeza disso…
– Sabes, estou tão feliz!
– Eu também. Nem acredito em tanta felicidade.
– Está tudo tão bonito. Estou tão bem comigo. Até sinto que esta conversa podia acabar aqui.
– Estava a pensar isso.
– Deixa-me só dizer-te mais uma vez que te amo muito.
– Também de amo muito.
– Até ao encontro das nossas vidas.
– Até…

Nunca se soube quem disse o quê. O importante nunca foi quem disse mas o que foi dito.
Quando desligaram foram amar-se na memória das palavras trocadas. Foram eternizar na alma o momento que acabaram de protagonizar e lhes marcou o coração a sentir de fogo.

Ela pensou que nunca desejara ninguém tão ardentemente.
Ele pensou que a surpreenderia no dia seguinte…

Anúncios

Autor: mailsparaaminhairma

Desenho ilusões com palavras. Sinto com palavras. Expresso com palavras. Escrevo. Sempre. O resto, ou é amor, ou é a vida a consumir-me! Há tão poucas coisas que valem a pena um momento de vida. Há tão poucas coisas por que morrer. Algumas pessoas. Outras tantas paixões. Umas quantas ilusões. E a escrita. Sempre as palavras... jpvideira https://mailsparaaminhairma.wordpress.com

Este é um blogue de fruição do texto. De partilha. De crítica construtiva. Nessa linha tudo será aceite. A má disposição e a predisposição para destruir, por favor, deixe do lado de fora da porta.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s