Mails para a minha Irmã

"Era uma vez um jovem vigoroso, com a alma espantada todos os dias com cada dia."

De Negro Vestida – VIII

Deixe um comentário

 

Rotinas – VIII

O dia amanheceu com gestos pequeninos, miudinhos, como se, por se fazerem menores, se fizessem em menos tempo. Maria de Lurdes põe o mesmo pequeno-almoço na mesa mas põe-no de forma diferente. Não na disposição dos lugares de cada um, nem na festa de luz e cor e cheiros que aviva a mesa, mas na forma menos pausada e mais sussurradamente apressada com que prepara a refeição inaugural do dia. Não pretende dar a ideia de que quer despachá-los para fora de casa, mas dá. É indisfarçável a energia ansiosa que lhe atravessa o brilho do olhar, os gestos nervosos de trazer e levar e quando se cruza com um deles no espaço amplo da cozinha, em vez de esperar tranquilamente, com a tranquilidade que todos lhe reconhecem de mãe e mulher, que passe, apressa-o com um Vá lá, vá lá! fazendo com a mão um gesto de Apressa-te e passa! Lembrando os sinaleiros que noutros tempos serpenteavam a cidade.
E, à quinta-feira, quando os vê partir, em debandada da sua vida para a vida deles, não sente o rasgar interior nem o impulso de os reter. Larga-os livremente para a liberdade deles que, neste dia, é também a sua. Normalmente, quando sente que já não estão no prédio, exclama Ora, ora… como quem pensa Por onde vou começar a vida que há hoje para viver?
Ao pequeno-almoço, o marido repetira, como quem confirma, aquilo que diz todas as quintas-feiras à mesa:
– Hoje é dia de Gininha?
– Hum, hum…
Ele já sabia a pergunta e a resposta para ela. Ela já sabia a resposta e a pergunta para ela. Ele sabia, já, que não viria almoçar a casa porque nunca vem. Habituou-se, há muito, a este ritual e respeita-o. Interiormente considera-o como uma espécie de grito do Ipiranga semanal da sua mulher. Admite-lho porque, de quando em vez, também solta o seu.

————————————————–

O Romance “De Negro Vestida” foi publicado, capítulo a capítulo, neste blogue, entre 26 de janeiro de 2010 e 22 de abril de 2011.

Agora que conhecerá outros voos, nomeadamente, a publicação em livro, deixamos aqui um excerto de cada capítulo e convidamos todos os amigos e leitores a adquirirem o livro.

Obrigado pela vossa dedicação.

Setembro de 2013

João Paulo Videira

————————————————–

Anúncios

Autor: mailsparaaminhairma

Desenho ilusões com palavras. Sinto com palavras. Expresso com palavras. Escrevo. Sempre. O resto, ou é amor, ou é a vida a consumir-me! Há tão poucas coisas que valem a pena um momento de vida. Há tão poucas coisas por que morrer. Algumas pessoas. Outras tantas paixões. Umas quantas ilusões. E a escrita. Sempre as palavras... jpvideira https://mailsparaaminhairma.wordpress.com

Este é um blogue de fruição do texto. De partilha. De crítica construtiva. Nessa linha tudo será aceite. A má disposição e a predisposição para destruir, por favor, deixe do lado de fora da porta.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s