Mails para a minha Irmã

"Era uma vez um jovem vigoroso, com a alma espantada todos os dias com cada dia."

"Com Amor," – Documento 28

1 Comentário

Minha Menina Verónica,

A aspereza que experimentaste nos homens é natural. Eu tenho uma tese. Eu acho que os homens separam mais facilmente do que as mulheres o sexo do amor. E a consequência é simples. Conseguem praticar sexo sem que haja, forçosamente, amor envolvido. Esta é a parte vulgar e pública da tese. A outra parte tem a ver com a aspereza e a suavidade de que falavas. É que eu acredito que, quando amamos alguém, há minúsculas e invisíveis partículas do nosso corpo que se movimentam e amaciam tornando-nos mais suaves, mais preparados para o contacto com a pessoa amada. Os homens que fizeram sexo contigo não te amavam. Ou amavam, mas era esse amor insuficiente para que os seus corpos se suavizassem para ti. Isto, minha menina Verónica, dá-te a dimensão do meu amor por ti.

Por vezes, o sexo, por via do prazer que provoca, pode tornar-se muito egocêntrico. Eu tento fugir a isso. E tento fazer com que tudo seja uma festa, acho que prefiro a palavra festim, para os dois envolvidos. E quando digo envolvidos, digo-o na plena acepção da palavra. Dedicação e entrega total ao outro nos gestos de dar que, como percebes, enformam os de receber. Para mim, o segredo de receber reside em dar. Dar sem medida. E receber o que houver para receber. Se ambos fizerem isso, dá para perceber que a configuração pode ser fantástica como foi, de facto, entre nós.
Deste tanto, Verónica. Deste desmesuradamente. E foi por isso que desmesuradamente recebeste.

————————–

Também duvido, mas hoje não quero escrever sobre isso. Só amar-te. Só despir-te com as palavras e ter-te sob o meu desejo por elas desenhado.

Teu homem Rui.

Anúncios

Autor: mailsparaaminhairma

Desenho ilusões com palavras. Sinto com palavras. Expresso com palavras. Escrevo. Sempre. O resto, ou é amor, ou é a vida a consumir-me! Há tão poucas coisas que valem a pena um momento de vida. Há tão poucas coisas por que morrer. Algumas pessoas. Outras tantas paixões. Umas quantas ilusões. E a escrita. Sempre as palavras... jpvideira https://mailsparaaminhairma.wordpress.com

One thought on “"Com Amor," – Documento 28

  1. O amor é lindo! É dar e receber! É um “quero lá saber do mundo “,naquele momento nada mais existe!!!

    Gostar

Este é um blogue de fruição do texto. De partilha. De crítica construtiva. Nessa linha tudo será aceite. A má disposição e a predisposição para destruir, por favor, deixe do lado de fora da porta.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s