Mails para a minha Irmã

"Era uma vez um jovem vigoroso, com a alma espantada todos os dias com cada dia."

"Com Amor," – Documento 43

Deixe um comentário

Olá Verónica,
Olá minha querida, meu amor…

Que queres que te diga que não te tenha já dito?
Vai! Vai viver a vida!
Não é enamorada que estás, é entusiasmada com o genuíno interesse de um homem por ti, um homem que, ao contrário de mim, pode dar-te tudo o que desejas. Não é enamorada, é excitada com essa perspectiva de vida e é apaixonada pela figura e pela atitude dele. É tudo tão bom, tão fantástico, que não percebo a tua hesitação. Psicopata? Tu estás louca? Andas a ver muitos filmes!

E não me agradeças, Verónica, que me dói. Dói porque sempre me deste sem limites. Dói porque gosto de ver-te partir, mas também te quero para mim… Dói…

Desmarca tudo! Não sejas louca. Não vivas a vida pelos mínimos. Vai e vive, Verónica!

Com Amor,
Rui

Anúncios

Autor: mailsparaaminhairma

Desenho ilusões com palavras. Sinto com palavras. Expresso com palavras. Escrevo. Sempre. O resto, ou é amor, ou é a vida a consumir-me! Há tão poucas coisas que valem a pena um momento de vida. Há tão poucas coisas por que morrer. Algumas pessoas. Outras tantas paixões. Umas quantas ilusões. E a escrita. Sempre as palavras... jpvideira https://mailsparaaminhairma.wordpress.com

Este é um blogue de fruição do texto. De partilha. De crítica construtiva. Nessa linha tudo será aceite. A má disposição e a predisposição para destruir, por favor, deixe do lado de fora da porta.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s