Mails para a minha Irmã

"Era uma vez um jovem vigoroso, com a alma espantada todos os dias com cada dia."

"Com Amor," – Documento 60

Deixe um comentário

Caro Senhor,

Chamo-me Alberto Honorato e conheço-o vagamente do ambiente profissional onde já nos cruzámos algumas, poucas, vezes.

Tomo a liberdade de contactá-lo por haver entre nós um conflito de interesses. Não é um assunto de índole profissional mas sim pessoal e até familiar. Irei directo ao assunto pois não me parecem proveitosos quaisquer rodeios nesta matéria. Eu sou marido, como sabe, de Laura Duarte com quem o senhor mantém uma relação afectuosa há mais de dois anos. Por favor, nem se dê ao trabalho de contestar isto. O problema precisa ser resolvido e ignorá-lo não ajudará. A Laura tem, como eu tenho, um computador portátil. O meu precisou ser arranjado pelo que um dia destes pedi à Laura para consultar o meu e-mail no computador dela ao que ela acedeu, naturalmente. Acontece que a Laura deve ter fechado a janela do Gmail sem encerrar a sessão e quando eu abri a janela, a caixa de correio da minha mulher ficou na minha frente. Normalmente, eu fecharia a sessão dela e abriria a minha. Não sou, nunca fui, uma pessoa invasiva. Contudo, não pude deixar de reparar, nem de estranhar, que todas as mensagens na caixa de correio da minha mulher tivessem um único remetente: Rui Daniel Sousa. Depois de quase três horas de leitura furtiva, pela qual não posso deixar de sentir-me culpado, fiquei a saber que mantém há pouco mais de dois anos uma relação intensa e íntima com a minha mulher.

Senhor Rui,

O meu papel não é censurá-lo. Todos teremos as nossas responsabilidades no curso dos acontecimentos e eu próprio não me arrojo a hipocrisia do direito a proclamar-me um homem sem falhas. Mas é precisamente essa perspectiva, a individual e individualista, que, penso, urge evitar. Não pensemos em mim, em si, na minha mulher ou na sua. Pensemos no que representamos juntos: família. E pensemos que vale sempre a pena lutar pelas nossas famílias.

Peço-lhe que não revele este e-mail a ninguém. Além de desnecessário, obrigar-me-ia a revelar que li as mensagens a partir do e-mail dela e isso, como calcula, não ajudaria. Peço-lhe que se afaste reconhecendo-me o direito a lutar pela união da minha família. Só isso!

Espero seja possível. O resto, são aspectos acessórios e circunstanciais que não interessa debater.

Cumprimentos,
Alberto Honorato.

Anúncios

Autor: mailsparaaminhairma

Desenho ilusões com palavras. Sinto com palavras. Expresso com palavras. Escrevo. Sempre. O resto, ou é amor, ou é a vida a consumir-me! Há tão poucas coisas que valem a pena um momento de vida. Há tão poucas coisas por que morrer. Algumas pessoas. Outras tantas paixões. Umas quantas ilusões. E a escrita. Sempre as palavras... jpvideira https://mailsparaaminhairma.wordpress.com

Este é um blogue de fruição do texto. De partilha. De crítica construtiva. Nessa linha tudo será aceite. A má disposição e a predisposição para destruir, por favor, deixe do lado de fora da porta.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s