Mails para a minha Irmã

"Era uma vez um jovem vigoroso, com a alma espantada todos os dias com cada dia."

O Clã do Comboio – Triste

6 comentários

Triste

Foi um episódio triste. E presta-se a juízos de valor. Posso fazê-los. Sei fazê-los. Não vou fazê-los por opção. Limitar-me-ei a relatar o que vi. No final do texto deixarei duas frases. E essas, sim, terão juízos de valor. O leitor, como a palavra indica, fará as suas leituras e as interpretações que entender.

Fim de tarde. Regresso a casa. Dois jovens, entre os dezoito e os vinte anos, estão sentados à minha direita, mas do outro lado do corredor. Levantam-se os dois e vão à casa-de-banho. Enquanto lá estão, surgem quatro revisores, ou melhor, dois revisores e dois fiscais. Cada um vigia uma saída da carruagem. Duas portas para a rua, ao meio da carruagem, e duas passagens para outras carruagens, nas extremidades. O comboio para. Os jovens saem da casa-de-banho. Deparam-se com os revisores e sentam-se nos seus lugares. Em menos de um sopro são abordados por dois dos revisores. Já íamos perto de Azambuja quando isto aconteceu. Eles tinham um passe mas só cobria o percurso Santa Apolónia – Oriente.
–  O seu título de transporte não é válido.
–  Ah não? Olhe, foi um colega seu que disse que era.
–  Qual colega?
–  Não sei. Já foi há uns dias.
–  E para onde é que o senhor vai?
–  Vou para Santarém. Queria um suplemento da Azambuja para Santarém. Pode-mo vender?
–  Não posso. Todos os bilhetes se vendem nas estações, exceto quando o cliente entra numa estação sem bilheteira o que não é o seu caso porque o senhor entrou em Santa Apolónia. Por outro lado, o suplemento de Azambuja não lhe serve de nada porque o seu passe só chega até ao Oriente.
–  Isso é o que você diz. O seu colega disse-me exatamente o contrário. São todos uns incompetentes. É o que é.
–  Não vá por aí… Não use essa argumentação.

Um dos fiscais ordenou que fossem passadas as coimas. E foram. Se bem ouvi, 169 € com vinte por cento de desconto se fossem pagos nos primeiros cinco dias. Um dos jovens comentou:
–  Isto é uma vergonha. Vou reclamar. Olhe que eu ando no último ano da licenciatura de Direito e sei que isto não tem efeito nenhum porque prescreve.

Os revisores não cederam e passaram as coimas. Um dos jovens, o que nunca falou, disse:
–  Último ano da licenciatura? Tu andas no 12º!
–  ‘Tá bem, mas a Bela do call-center disse que isto prescrevia.
–  Olha que não. É melhor pagarmos isto.
–  Eu não. O meu pai fica sempre a dever as faturas da PT e ninguém o chateia.

Quando chegaram a Santarém, saíram do comboio a resmungar e a insultar a companhia e os revisores, muito ofendidos com o sucedido.

Juízos de valor
Frase 1: Tudo isto é vergonhoso, absolutamente condenável, sinal de uma gritante falta de valores, princípios e formação, tudo isto faz parte das razões que, em meio da nossa grandeza, nos fazem pequeninos às vezes, e nos condenam a crises cíclicas. Sem desculpa!
Frase 2: Ando de comboio diariamente há dezasseis meses, nos primeiros quinze assisti a uma situação deste tipo, no último mês, presenciei cinco casos similares. Sinal dos tempos?

jpv

Anúncios

Autor: mailsparaaminhairma

Desenho ilusões com palavras. Sinto com palavras. Expresso com palavras. Escrevo. Sempre. O resto, ou é amor, ou é a vida a consumir-me! Há tão poucas coisas que valem a pena um momento de vida. Há tão poucas coisas por que morrer. Algumas pessoas. Outras tantas paixões. Umas quantas ilusões. E a escrita. Sempre as palavras... jpvideira https://mailsparaaminhairma.wordpress.com

6 thoughts on “O Clã do Comboio – Triste

  1. Mary, o teu comentário é para mim um motivo de alegria e esperança. Acreditar que na construção do mundo de amanhã também estão jovens que, como tu, evidenciam princípios e consciência ética e moral é reconfortante. Importa sabermos defender sempre tais princípios e valores. Obrigado pelo teu comentário.
    ———————————————
    Olá Graça… pois, ter dois filhos e ler um texto como este pode despertar sentimentos díspares. Um deles é, sem dúvida a preocupação que partilhou connosco. Sim, há muito a fazer no âmbito do civismo, mesmo junto dos pais… em muitos casos, SOBRETUDO, junto dos pais. Se cada um de nós fizer a sua parte…

    Gostar

  2. Infelizmente hoje em dia os pais demitem-se da sua função de educadores e acham que para criar e educar filhos passa apenas por lhes comprar o ultimo grito da tecnologia e despejá-los no mundo. E o resultado está à vista. Falta de educação, de respeito pelos mais velhos, total desrespeito pelas regras sociais e pelas das instituições. Eu tenho duas filhas e espero muito sinceramente que nunca nenhuma delas tenha o desplante de se envolver numa coisa do género. Porque tenho consciência de que as eduquei, de que estive sempre presente mesmo que isso significasse abdicar de outras coisas. O problema é que muitos pais não acham bem abdicar. Mesmo que não seja por sistema, a verdade é que é preciso fazer escolhas. Afinal estamos a formar homens e mulheres que queremos sejam cidadãos bem formados, educados e que respeitem os outros. E nada disto é coisa pouca. É bastante até. E é preciso que as pessoas se consciencializem disso. Alguém devia inventar cursos de formação para pais, porque os filhos não vêm com manual de instruções. Graça Martins

    Gostar

  3. Tudo vem de como é dada a educação em casa. está mais que bem visto que o próprio pai desse jovem está a dar um excelente exemplo de como lidar com problemas de dinheiro.
    além disso, o facto de ter 18 anos, mentir descaradamente e ainda pensar que está certo faz com que as pessoas julguem todos os jovens.
    Tenho 20 anos e nunca pensei comportar-me assim perante pessoas que só estão a fazer o seu trabalho e, além disso, estão prontos a ajudar-nos.
    É graças a jovens assim que todos são julgados como “sem respeito”, “delinquentes”, “desordeiros”,….
    Tempos de crise não justificam comportamentos assim.
    Uma tristeza de facto JP

    Gostar

  4. Sinal da falta de educação, de ética e de valores que grassa na sociedade e da qual temos culpa herdada. Porque a culpa maior vem de quem nos governa e governou e deu exemplos de mentira, de falta de ética e de chico-espertismo saloio. Os professores passaram a ser os cota, cujos discursos ninguém ouve, que provocam o risinho de escárnio dos que se safam sempre, num país de 10 milhões, onde a maior parte anda a fazer jogos de cintura para não pagar, não trabalhar e curtir.

    Agora pagamos todos a factura.

    VG

    Gostar

  5. Caríssimo Álvaro, Muito bem vindo. Independentemente de onde se mora, do comboio que se toma, da roupa que se veste, da bebida que se ingere, do carro que se conduz, e antes de tudo isso, há princípios e valores que devem nortear a ação e o comportamento das pessoas. O que me preocupa é que esses estão a perder-se de forma gritante e desenvergonhada. No comboio que tu tomas andam todos os dias dois senhores… pergunta à Senhora da Revista de Culinária… Abraço Grande. Escritor.

    Gostar

  6. Não é despiciendo que tenhas mudado de comboio, e que viajes agora num que, em grande parte do trajeto, seja suburbano. Não é que eu ache que se é melhor ou pior consoante o comboio que se toma, mas acredito que há locais em que moras porque escolhes, outros em que moras porque tem de ser.

    Gostar

Este é um blogue de fruição do texto. De partilha. De crítica construtiva. Nessa linha tudo será aceite. A má disposição e a predisposição para destruir, por favor, deixe do lado de fora da porta.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s