Mails para a minha Irmã

"Era uma vez um jovem vigoroso, com a alma espantada todos os dias com cada dia."

Corpo sem Sonho nem Quimera

12 comentários

(Imagem jpv)

Corpo sem Sonho nem Quimera

Rasgo o pulso do tempo.
Procuro a cada hora
Encontrar o que está por fora
De um único e irrepetível momento.

Amo o vento
E o frio
Rasgando-me a carne.
Amo o suor e a dor,
O lazer e o labor,
A luz do fogo
Enquanto arde.

Amo quem parte
Como quem fica.
Amo o homem que ordena
E o que suplica.
Amo hoje o dia que passa
E amanhã o que passou.
Amo e odeio
O homem que me prendeu
E a vertigem que me libertou.

Não sei quem seja.
Nem ateu,
Nem homem de igreja.
Nem bêbado cambaleando,
Nem sóbrio sem emoção.
Sou uma triste e alegre visão
De mim.
Um rio sem fim,
Correndo para o mar,
Uma gaivota cortando o ar,
Uma mão afagando um púbis,
Um poeta esgazeado
E perplexo.
Um entumescido
E laborioso sexo,
Uma carícia dolente
E dedicada.
Uma procura solitária
E desesperada.

E há essa impossibilidade.
Essa mordaça
Na voz e no peito
Que me tolhe a vontade
E desconcerta o jeito.
Há essa impotência
Em mim,
De ver-te partir,
E saber
Que não foi o fim.
Há esse grito
Silenciado,
Esse gesto
Pequeno e torturado.
Esse querer e não poder querer-te.
Me.

Não sei já do sangue
Nem da palavra.
Não me lembro do teu toque
Nem da tua voz.
O pouco que resta de ti
Habita em nós
E perde-se
A cada gesto desenhado,
A cada braço estendido,
A cada mão aberta,
A cada corpo amparado.

A vida…
A vida não existe.
É mera sombra,
Fractal impreciso,
Puta cansada e triste
Rejeitando uma voz que insiste…
E entrega-lhe o corpo,
Esvazia a alma,
Abandona a intenção
E perde a memória
Da razão… original.

O tempo não tem pulso
E dentro de cada momento
Não está nada.
A vida,
Se fosse alguma coisa,
Seria uma intenção abandonada.

Afinal,
Não amo nada.
Nada odeio.
Pensei ser o centro e o meio
De tudo.
E quedei-me cego e mudo
Quando finalmente percebi
Que nem pelas palavras
Estou aqui.

Ausência.
Espera.
Corpo sem sonho nem quimera.
Cadáver ofegante
Do homem que desespera.

jpv

Anúncios

Autor: mailsparaaminhairma

Desenho ilusões com palavras. Sinto com palavras. Expresso com palavras. Escrevo. Sempre. O resto, ou é amor, ou é a vida a consumir-me! Há tão poucas coisas que valem a pena um momento de vida. Há tão poucas coisas por que morrer. Algumas pessoas. Outras tantas paixões. Umas quantas ilusões. E a escrita. Sempre as palavras... jpvideira https://mailsparaaminhairma.wordpress.com

12 thoughts on “Corpo sem Sonho nem Quimera

  1. … e agora levaste-me de vez a alma!

    Gostar

    • Espero que não. Estava me habituando à sua alma! Quer isso dizer que gostou ou vai zurzir-me? Eu não me importo que me zurzam. Têm é de ser competentes a fazê-lo!

      Lhe vejo mais logo!

      jp

      Gostar

      • O que vem a ser “zurzir”? Seja o que for, acho que não sei fazê-lo direito, se lhe deixei na dúvida. Com “levaste-me a alma” quis dizer que me seduziste o espírito definitivamente. Desculpe minha incompetência linguística neste nosso idioma traiçoeiro!
        vejo-lhe…
        acs

        Gostar

        • Zurzir é castigar com as palavras. Criticar forte e feio!
          Essa sedução me deixa responsável. Estar à altura de leitores e interlocutores assim é muito difícil. Perdoe-me, antecipadamente, as falhas…
          Acho que vai gostar da “Fábula da Cigarra enquanto a Formiga Dormia”. Algo me diz que tem a ver com a sua alma…
          ———
          Escrevi um comentário em Meio Pão e Um Livro mas acho que não “entrou”! Tecnologias! Bah!
          jpv

          Gostar

          • O comentário entrou e foi respondido. Olha que estamos transformando isto aqui num chat.
            Falhas perdoadas de antemão e vou lá conhecer essa fábula.
            Veja, de Al Green fui a este cajo aqui, que eu não conhecia: http://youtu.be/6j4N90ymRYQ (há prazer que se iguale a ouvir uma boa música pela primeira vez?)

            Gostar

          • Vou espreitar. Já comia meio pão!
            Sim… essa sensação é… inigualável… original no sentido bíblico do termo: fundadora!

            Também vou “escutar” (olha eu brasileirando consigo!).

            jpv

            Seja chat, não pode ser é chato!

            Gostar

          • Se ficar chato, me avise!
            (Estou a aportuguesar-me consigo! Aliás, temos um aluno português na escola em que trabalho. Confesso que invento subterfúgios para inquiri-lo, só pra ouvir o sotaque.)

            Gostar

          • Olha… o reflexo da vida! Eu tenho um aluno brasileiro em Maputo e o provoco só para ouvir a doçura escorrer… nem interessa muito o que ele diz… se ele soubesse, tiraria partido, 🙂

            Avisarei. Conto com essa lisura da sua parte também!

            Beijo. jpv

            Gostar

      • Em tempo, você me fez conhecer Al Green (e esta versão extraordinária desta música que eu só conhecia com os Bee Gees) e, como uma música puxa outra, estou a ouvir uma seleção fantástica pela primeira vez!
        Este é mais um dos meus lenitivos: a música!

        Gostar

  2. Gosto de como fala de Amor… Afinal o que é a vida sem Amor…NADA.

    Gostar

  3. Multiplicador, a vida daquele blog depende de você!

    Dê a sua opinião, não permita que mais um blog morra!

    http://www.educadoresmultiplicadores.com.br/2014/04/multiplicadora-nao-deixe-que-mais-um.html

    Contamos com a sua presença! Desde já, agradecemos por sua visita.

    Irivan Rodrigues

    Gostar

Este é um blogue de fruição do texto. De partilha. De crítica construtiva. Nessa linha tudo será aceite. A má disposição e a predisposição para destruir, por favor, deixe do lado de fora da porta.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s