Mails para a minha Irmã

"Era uma vez um jovem vigoroso, com a alma espantada todos os dias com cada dia."

O Virtuosismo do Cinema Português

5 comentários

os-gatos-nao-tem-vertigens

Mesmo quando tenta ser comercial, o cinema português não escapa à alma poetisa do nosso povo. Nem todo o nosso cinema é bom, mas, mesmo quando as produções deixam a desejar, há (quase) sempre um traço lírico, uma moral, uma mensagem, algo para dizer… como se, mesmo sucumbindo à vertigem comercial, o cinema português lutasse sempre por ser arte.

Depende dos produtores, claro. E dos realizadores. E dos elencos. António-Pedro Vasconcelos é um excelente realizador. Um contador de histórias. Um romântico e um indefetível apaixonado pelos finais felizes. Mas fica das suas películas o perfume de uma história contada ao borralho. Fica, sempre, uma incontornável esperança no melhor que a Humanidade consegue ser…

Recentemente vi o filme de 2013 “Os gatos não têm vertigens”. E considero, arriscando aqui a minha morte social, que é melhor do que o Star Wars e o 007 e o Senhor dos  Anéis e tanto outro lixo tóxico que consumimos frequentemente…

Aí ficam umas citações a ver se ides vê-lo…

————————-

“Escrever é o melhor remédio contra a solidão e o desespero.”
Joaquim citado por Rosa em “Os gatos não têm vertigens” de António-Pedro Vasconcelos.

“O problema de hoje é que há cada vez mais putas e cada vez menos clientes.”
Mãe do Fintas citada por Rosa em “Os gatos não têm vertigens” de António-Pedro Vasconcelos.

“-Demoraste tanto tempo.
– Foi só um instante.
– Um instante sem ti é uma eternidade.”
Diálogo de Joaquim e Rosa em “Os gatos não têm vertigens” de António-Pedro Vasconcelos.

Anúncios

Autor: mailsparaaminhairma

Desenho ilusões com palavras. Sinto com palavras. Expresso com palavras. Escrevo. Sempre. O resto, ou é amor, ou é a vida a consumir-me! Há tão poucas coisas que valem a pena um momento de vida. Há tão poucas coisas por que morrer. Algumas pessoas. Outras tantas paixões. Umas quantas ilusões. E a escrita. Sempre as palavras... jpvideira https://mailsparaaminhairma.wordpress.com

5 thoughts on “O Virtuosismo do Cinema Português

  1. É uma pena que sejam poucos os filmes portugueses exibidos no Brasil.
    Sempre que chega algum, não perco.
    E sou admiradora dos escritores portugueses também… justamente por causa do lirismo e da poesia que existe em tudo.

    Gostar

  2. Um bonito filme, bom elenco, boa história e uma banda-sonora muito boa =)

    Gostar

Este é um blogue de fruição do texto. De partilha. De crítica construtiva. Nessa linha tudo será aceite. A má disposição e a predisposição para destruir, por favor, deixe do lado de fora da porta.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s