Mails para a minha Irmã

"Era uma vez um jovem vigoroso, com a alma espantada todos os dias com cada dia."


Deixe um comentário

Leituras

tres-homens-num-barco

Uma amiga do coração perguntou-me recentemente o que andava a ler. Não podia ser mais honesto. Falei-lhe do livro que me tem devorado os minutos dos últimos serões. “Três Homens num Barco” de Jerome K. Jerome é um texto divertidíssimo, capaz de animar qualquer espírito e é, sobretudo, uma esplêndida sátira social. O autor é também o narrador e uma das personagens centrais da ação: uma viagem de barco empreendida por três amigos burgueses que, fartos de fazer nada, decidem ir fazer um pouco mais de nada para o Tamisa dentro de um barco…

Se puderem, depois de terminarem “A Paixão de Madalena”, comprem este, peçam emprestado, façam como quiserem, mas não deixem de ler!

jpv

Anúncios


Deixe um comentário

Opinião: “A Paixão de Madalena”

IMG_3444

Amigos, eis a opinião da leitora Graça Fernandes que teve a generosidade e a gentileza de a partilhar connosco.

“Terminei com alguma dificuldade, porque não queria despedir-me desta história apaixonante que nos fala de liberdade, amor e sobretudo de laços inquebráveis.
Este livro é tão bom que apetece ler e reler várias vezes.
Não há como não nos apaixonarmos por estas personagens tão intensas e surpreendentes.
Nunca vi ninguém escrever tanto e tão bem 🙂
Os meus parabéns e que venha logo o próximo romance.”

 

Muito obrigado, Graça… a sua generosidade deixa-me sem palavras. Escrevo para contar histórias e com elas tocar as pessoas. Quando tenho o privilégio de saber que isso aconteceu, a alma comove-se. Estou-lhe muito grato por estas palavras!

Um beijinho, João Paulo Videira


2 comentários

“A Paixão de Madalena” esteve no Porto

Foi hoje a apresentação de “A Paixão de Madalena” no Porto. Uma tarde soberba. Um ambiente evocativo num espaço esplêndido, a Casa de Allen, e uma atmosfera intimista.

Foi uma tarde de amena cavaqueira acerca de livros, leitura, literatura, escrita, romances, homens, mulheres e… sexo! Nem mais. Um grupo heterogéneo e super-simpático acolheu-me no Porto.

A Tecas Corte-Real (https://www.facebook.com/tecas.cortereal) foi uma Amiga insuperável e organizou o evento que teve direito a Porto de honra e tudo. Um profundo e sentido agradecimento à Tecas e um obrigado imenso a todos os que estiveram presentes.

Até breve!

João Paulo Videira

——————- fotos do evento ——————-


2 comentários

“A Paixão de Madalena” – Recensão de Marisa Luna

faces-marisa

A bloguer Marisa Luna leu “A Paixão de Madalena” e redigiu uma recensão que podemos ler na íntegra no seu blogue. Aqui fica o endereço:

http://simplesmentemarisa.blogspot.pt/2015/12/a-paixao-de-madalena-de-joao-paulo.html

Só um cheirinho:

“Confesso-vos já que há muito que não devorava um livro em tão pouco tempo. As diversas histórias que vão sendo contadas em torno de Madalena constituem um enredo absolutamente cativante, arrebatador e absorvente, de uma grande riqueza cénica e com personagens diversificadas e  marcantes.”


Deixe um comentário

A Paixão de Madalena – Lançamento.

Mais uma surpresa!
 
Caros Amigos e Leitores, a apresentação pública de “A Paixão de Madalena” será já no próximo dia 20 de dezembro, em Lisboa. Por favor, leiam cartaz e convite. Vamos estrear o Clube Literário da Chiado Editora​!
 
Em breve vos trarei o convite para a apresentação que decorrerá no Porto, a 9 de janeiro de 2016, na Casa de Allen.
 
Convido-vos a estarem presentes nas apresentações e espero que a leitura vos agrade!
 
Visitem a página do livro em https://www.facebook.com/apaixaodemadalena/
 
Uma cordial saudação,
 
João Paulo Videira


2 comentários

A Paixão de Madalena – Capítulo 25 (Excerto)

capa-apm-4

O presente texto constitui um excerto do capítulo 25 do Romance “A Paixão de Madalena” que publicaremos em breve.

A PAIXÃO DE MADALENA

LIVRO IV – ASCENÇÃO E QUEDA

25. Era maio tardio, uma nuvem de borboletas brancas invadiu Nairobi, pousaram nas janelas, nos carros, nos telhados, nos postes de luz, nas árvores, as pessoas afastavam-nas sacudindo as mãos à frente da cara, a copa da imensa mangueira do quintal ficou pintada de branco esvoaçante, muitas pousaram no chão que ficou serpenteado como se tivesse caído uma improvável chuvada de granizo. Afrika percebeu o sinal. Não eram borboletas, eram as asas de um espírito bom. Foi buscá-la ao quarto, trouxe-a nos braços e entregou-a a Albertina que a abraçou e a beijou muito como se aqueles beijos a pudessem trazer de novo à vida.

———————————- jpv ———————————-

[O presente texto constitui um excerto do Capítulo 25 de “A Paixão de Madalena” a publicar em breve em livro. Boas leituras!]


Deixe um comentário

A Paixão de Madalena – Capítulo 24 (Excerto)

capa-apm-4

O presente texto constitui um excerto do capítulo 24 do Romance “A Paixão de Madalena” que publicaremos em breve.

A PAIXÃO DE MADALENA

LIVRO IV – ASCENÇÃO E QUEDA

24. Dizem que a noite africana esconde mais mistérios e mais perigos do que qualquer outra. Talvez por isso, encostadas à parede, por baixo da janela que estavam prestes a abrir, as gémeas conseguiam ouvir o coração uma da outra pulsar de emoção. Viraram-se as duas, sincronizadas, empurraram a janela de guilhotina para cima, colocaram a colher de pau a impedir que descesse e esgueiraram-se para o quintal. Era um espaço enorme, em chão térreo, tinha no centro uma mangueira tão grande que a copa cobria todo o quintal. Havia algumas mangas pelo chão, caídas de maduras e os morcegos razavam por cima das suas cabeças. Passaram para o lado de lá do tronco onde estava encostada uma pá. Abriram uma pequena cova, colocaram lá dentro folhas secas e pequenos ramos, atearam o lume com fósforos e abriu-se um clarão amarelo sob a imensa copa e o céu estrelado dos arredores de Nairobi. Tinham uma empregada queniana, alta, com o cabelo a cair-lhe pelas costas num cacho de tranças. A mulher, diziam, era mais antiga que o tempo, mais velha que a morte. Chamava-se Afrika e tinha-lhes ensinado o ritmo e as palavras do canto da união das almas. E advertira-as que o canto só por si era ineficaz, seria fundamental que as almas a unir para todo o sempre em qualquer que fosse o universo, trocassem sangue durante o ritual.

———————————- jpv ———————————-

[O presente texto constitui um excerto do Capítulo 24 de “A Paixão de Madalena” a publicar em breve em livro. Boas leituras!]

 


4 comentários

A Paixão de Madalena – ANÚNCIO

a-paixao-de-madalena-manuscritoA Paixão de Madalena – ANÚNCIO

Caros Amigos e Leitores,

Interrompo aqui o descanso de férias para partilhar convosco o facto de ter sido concluída hoje a redação integral do romance “A Paixão de Madalena”.

Após quinze dias de escrita quase frenética, absolutamente concentrada e envolvida, ficaram redigidos, em manuscrito, os 35 capítulos que compõem o romance.

Os próximos passos serão passar tudo para letra de imprensa, fazer revisões, negociar os termos da publicação e, se Deus quiser, lá para o Natal teremos uma nova publicação em livro.

Aqui no MPMI foram publicados 14 capítulos e ainda acrescentarei mais uns três ou quatro para que possam avaliar o curso da história e a forma como é contada.

Penso que se conseguiu um texto intenso, repleto de emoções e afetos, repleto de ilusões e desilusões. Penso que se conseguiu um texto sensível e uma história interessante. Penso… Essa avaliação, a que conta, será feita por vós.

Até breve.

jpv